Buscar
  • Redação Cabral Associados

Como os líderes podem agir diante das adversidades?

Por: Simone Moura Cabral, coordenadora do Núcleo de Desenvolvimento de Pessoas


Nas experiências passadas você se blindou contra futuros desastres emocionais aumentando a espessura de sua couraça protetora? Muitas vezes, a nossa tendência é considerar a ideia de ficar devastado como algo tão ruim que buscamos tornar-nos à prova de bala. Você conhece alguém assim? No aspecto geral, nossa couraça protetora nos traz funcionamento bom, porque ela nos protege das pancadas emocionais rotineiras e impede que nos despedacemos de autocompaixão, ou também, evitamos nos sentir devastados pela negatividade. Você passa por isso? Essa espécie de autoproteção tem um custo, pois ela pode isolar-nos de coisas especialmente boas também. E é aí que precisamos estar atentos. É óbvio que dentro de nossa caverna ‘murada’ podemos vivenciar e, na verdade, experienciarmos genuinamente emoções positivas, como por exemplo: interesse, orgulho, inspiração, serenidade, dentre outras. Mesmo assim, nossa capacidade de compartilhar essas emoções positivas com os outros fica comprometida. Tornamo-nos mais anestesiados para emoções negativas e positivas. É interessante refletir que, ao nos tornarmos à prova de balas, também podemos nos anestesiar contra as possibilidades de conexões verdadeiras. Ser menos capaz de se conectar, por sua vez, isola nosso corpo e percebe-se deixar passar ‘oportunidades’ para ressonância de positividade, sempre revigorante e fortalecedora, tão necessária para estarmos vivos com mais qualidade e sentido de vida. E agora, o que fazer para encararmos tempestades emocionais, sem sermos derrubados ou ficarmos impassível a elas? As pessoas resilientes, acabam percebendo e apreciando a vida em um contexto maior, o que lhes possibilita responder aos transtornos emocionais com mais perspectiva, flexibilidade e graça. As vantagens de investir em emoções positivas: - Agilidade na resolução de problemas desestruturantes, porque se transformam em pessoas ágeis na resiliência; - Estar melhor preparado para administrar os inevitáveis altos e baixos, tornando a vida mais satisfatória; - Ajuda a escoar qualquer resquício de negatividade dentro do seu interior; - Desmantelam ou desfazem a aderência das emoções negativas sobre mente e corpo. Desta forma, percebe-se, que o nível de resiliência não está gravado em pedra ou no nosso DNA. Portanto, ele pode ser melhorado por meio de experiências e treinamentos. Pessoas resilientes não ficam sozinhas, tanto crianças ou adultos podem usar o humor para fazer os outros sorrir ou rir junto com elas. Sendo assim, crianças resilientes alimentam a ressonância de positividade com seus amigos e responsáveis, criando micromomentos de ressonância de positividade.


4 visualizações